Paraíso Sagrado

A vida segue por meandros imaginados e por canais de luz que se abrem em profunda magia e rara beleza.

Nossos corações estão brilhantes e fazendo parte deste cenário de fé que nos recorda o quanto somos amados por um Deus que nos lega a sua partícula para que possamos caminhar, trazendo em nosso âmago a ternura e o profundo amor.
Muitas vezes tropeçamos e muitas vezes ultrapassamos todos os nossos limites.

Assim vamos dando conta da grande tarefa que a cada um foi determinada, crendo que as dimensões são na verdade a busca de alegria que tanto ambicionamos.

A busca da verdade reluz ante nossos olhos pasmos pela vontade e o impulsionamento comanda o nosso destino.

Somos luz e caminhantes sempre à procura irrestrita pelos espaços sagrados.
Buscamos esse espaço em nosso coração e o tempo todo é permitido e abençoado toda a manifestação da luz

Refletindo nessa procura, encontramos os meios para os nossos projetos aqui na terra.

Estando imbuídos da magia de sermos humanos e divinos e nessa caminhada ímpar, chegaremos ao topo da montanha, ao topo da nossa existência, onde partilharemos a luz que sempre será a nossa meta.

O brilho e a grandeza nossa, resistirão enfim aos desalinhos e aos percursos íngremes que compoem a nossa ida para o mundo novo.

Nessa terra bendita e bela, atravessamos as sombras e as nossas próprias carências, sendo estas individuais e coletivas porque todos estamos vinculados a um grupo heterogêneo no agir e no entendimento, onde cada um se move segundo sua própria evolução mas também homogêneo quando sabemos que todos sem distinção procuram voltar de onde vieram e a saudade do espaço sagrado ao qual pertencíamos é o que transforma o caminho nessa busca incessante da cura do coração.

Entendemos que a carência afetiva é o movimento eloqüente do nosso sofrimento nessa volta ao Pai, ao nosso lar e á nossa dimensão de luz.
O aprendizado nos foi vinculado à própria vivência.

Trazemos no âmago a luz que somos e na carne humana as dificuldades da personalidade e da vida que se apresenta tão farta de sofrimento para que nessa trajetória aprendêssemos o valor que possuímos enquanto seres de luz.

O invólucro humano é somente o transporte para nosso aprendizado.

A pergunta que paira no ar é:
- Se estávamos no paraíso porque transitar na forma terrestre física onde tantas dificuldades nos esperam? Tanta luta, tanta incoerência, tanta luta pelo poder e tanta angustia?

- O amor não estava completo!
O amor supremo seria a inclusão do homem no projeto maravilhoso onde somente haveriam luzes e cores, harmonia e paz e cada um com seu poder, teria a liberdade de criar e recriar movimentos, usando a força mágica do ser absoluto e portanto liberado para agir em seu próprio querer e o livre arbítrio em todas suas decisões.
O plano de Deus com as almas livres e prontas para vivenciar o grande amor que lhes foi doado.

Todos então partiram para o seu grande momento e um dia finalmente voltariam ao lar supremo de onde vieram.

A passagem pela terra seria a busca do prazer, da concordia e do amor no aprendizado belo que lhes foi doado, mostrando a vida na natureza, a vida dos animais, enfim a vida dos outros seres que estavam também entregues a seu novo aprendizado.

E tudo seguia muito bem, ate que um dia o paraiso terrestre foi danificado pela ousadia e crença de alguns que pensaram fora do movimento de paz e harmonia, trazendo a descoberta de que alguns poderiam ser subjugados e tratados como inferiores.

Essa idéia manifestou-se porque a todos era permitido viver e certamente cada um era exclusivamente dono do seu querer. Muitos tinham os dons mais desenvolvidos e outros ainda por descobri-los e portanto a vivencia seria essa: o aprendizado no paraíso usando seus próprios poderes.

O gosto pelo poder começou a se desenvolver naqueles que eram mais fortes e daí para o aprisionamento dos outros foi um passo.

Começa dessa maneira, o extermínio dos seres mais frágeis em sua evolução e com esse transtorno, a vida no paraíso terrestre foi manchada pelo sangue inocente e pela maldade que aflorou.
Agora colhemos o fruto da discórdia e do poder sobre os outros seres que não entenderam a força que existia em igual condição.

O massacre ate hoje é vivenciado e a busca pelo paraíso sagrado dificultou-se no trajeto desarmonioso e portanto todas as incoerências do mundo atual em toda sua dimensão.

É o que ficou para a sinalização do bem maior que existe e está a nossa espera.
Voltar ás nossas origens, voltar ao nosso ser de luz exige força e maestria porque o atravessamento das dificuldades coloca-nos frente a nossa decisão de seguir na luz em busca do nosso ser ou seguir uma direção contrária, buscando na maldade a destruição da força que nos eleva.

Portanto sabendo desses fatos, procuremos caminhar mais destemidos pelos vales profundos, acreditando que o amor que buscamos, está em nós mesmos, na nossa recuperação enquanto seres de luz, com a força máxima em nós mesmos.

Ir ao encontro do amor é ainda o chamamento a que temos direito e Jesus em sua beleza e irradiação máxima de luz nos fez o convite: "vinde a mim as criancinhas porque delas é o reino dos céus!" Criancinhas que somos na caminhada evolutiva e com a alma livre e determinada na inocência da criança que tudo vê e tudo acredita e que caminha pela vida presenciando o amor transparente, onde a fé isenta de dúvida produz a ida ao encontro do seu próprio Eu! Iluminado e sem máculas.

A força está para quem acredita nela!
A força está na elevação dos sentimentos!
A força está na luta e na certeza da vitória!
A força está no prazer de ser feliz com o que se é!
Somos luz! Viemos da luz e a ela retornaremos!
Palavras de Deus!
Estejam em harmonia na busca da verdade!

"Seu guia e amigo Jonathan"

 

 

[ Topo ]

[ Fechar ]

" Texto canalizado por Mariyah em 8 de Fevereiro de 2009 "