Portais da Paz

Abrem-se todos os portais da paz, nesse momento grandioso onde nos juntamos para bendizer o senhor de toda a criação, o senhor da vida para nesse enlevo, mostrar a todos que a vida permanece íntegra e valiosa onde quer que estejamos, onde nossos corpos se sentem á vontade para acompanhar a evolução que nos transforma a cada dia em seres melhores, acompanhados pela luz que nos dirige ao nosso lar, o lar de onde saímos para promover a ajuda e permitir mais um aprendizado em cada vivência, e em cada caminhar vai se delineando um contato com nossas próprias dificuldades e anseios, para que saibamos o que viemos fazer e porque seguimos, pois uma âncora, a âncora do retorno ao lar, nos aquece o coração e nos devolve ao paraíso onde é o lugar de todos para a glória de nosso Deus.

Estamos nesses tempos, imbuídos de toda força necessária para caminharmos em busca da tão sonhada paz, tão falada e tão apregoada, mas me dizem:

O que é a paz em vossos corações?

O que entendem, quando lançam a todos os cantos os pedidos de paz?

Nos corações há sempre a invocação que nos mostra a beleza de se harmonizar com a natureza, com os nossos semelhantes, mas muitos, quando falam de paz, transmitem um sentimento mentiroso, acreditando que viver em paz é não ser incomodado, é estar bem com dinheiro, com saúde e deixando-se levar pela acomodação e pela tranqüilidade.

Será isso a paz verdadeira?

Aqueles que sabem ouvir a voz interior percebem que paz significa rebeldia, não no sentido de guerra, mas no sentido de se armar trazendo situações que realmente busquem um melhor lugar para todos os viventes, onde o planeta terra também possa vivenciar a paz, onde seus rios possam correr límpidos, matando a sede e proporcionando alimentos a todos que se nutrem deles, os animais, e todos que precisam ser saciados do que ele oferece, a beleza, a vida.

Tantas vezes o rio nasce maravilhoso e no seu correr pelos vales é interceptado por detritos, maldosamente despejados em seu leito, um leito que serve a todos e então a sua função é cortada ali, e sem outra escolha ele fica enfermo, com suas águas poluídas e envenenadas que sobrecarregam toda a energia da terra e a sua conseqüente resposta horroriza todos que vivem nela.

E isso é paz?

Bradar aos céus em preces ardentes, em jejuns infinitos e não se importar com esses absurdos, será uma atitude correta perante seus semelhantes?

Falar em paz e tratar os seus filhos e seus irmãos com severidade agressiva, pensando somente em seu próprio bem estar não seduz em nada a energia construtiva do amor.

Quando se mira no desenvolvimento do poder, caminha-se para uma revolução árdua em busca de soluções inatingíveis.

Vejo muitos lideres preocupando-se com o direcionamento das nações, mas seguindo por um caminho pouco efetivo quando se fala em paz.

Construir a paz é deixar a preguiça e a injustiça e buscar as verdadeiras causas e suas conseqüentes respostas.

A paz está no respeito á natureza, ao ser humano e a todas as formas de vida. Também está no amor por si mesmo, e no amor por todos os viventes.

Quando se puder olhar para o alto com as mãos elevadas em amor e agradecimento pelo presente que é a vida, estaremos seguros que encontramos a paz verdadeira, mas enquanto se destrói a terra, queimando suas entranhas e transformando seres em escravos, estaremos muito longe de conhece-la, porque a injustiça grita e se faz presente incomodada pelas atitudes inesgotáveis de desamor e sua repercussão só pode ser a destruição do planeta, igual para todos que vivem na terra.

Procurem entrar em seu próprio coração e sentir a força que dele emana para vivenciar a verdadeira paz, porque enquanto isso não for feito, podemos esperar muito sofrimento, que não escolhe a quem atingir, pois somos todos irmãos na alegria e na dor, na construção e na destruição.

A terra é para todos, suas belezas incomparáveis não podem ser tão vilipendiadas pela busca do poder que mata, incendeia e transgride todas as leis de paz e igualdade.

Façamos nossa oração de paz, erguendo-nos como fênix que ressurge das cinzas, envolvendo-nos em luz violeta, para que se faça a transmutação da dor em alegria e tanta destruição em vida que se une á força máxima que é o amor, existente no âmago de cada um de nós, bastando-nos contatar com ela através do desejo de se promover o bem, e através do sentimento da fé, a busca do sentido da vida.

Fiquem em paz, na verdadeira paz, que não se acomoda mas que age, provocando mudanças necessárias e benvindas.

 

Fiquem com Deus,

Seu guia e amigo Jeremias.


"Texto canalizado por Mariyah em 18 de Novembro de 2007"

 

[ Topo ]

[ Fechar ]